Oficina das Noivas

Meu filho não sente dor no dente, preciso leva-lo ao dentista?

abr 02, 2018
Odontologia

Eu vejo no meu dia a dia muitos pais que acabam levado seus filhos no consultório odontológico quando ocorre uma dessas três situações:

  1. o filho está com dor de dente
  2. os pais acham que o filho está com cárie
  3. quando o filho tem um trauma/acidente e bate com a boca

Definitivamente esses motivos estão longe de ser o ideal para uma primeira consulta. Primeiro porque a criança já está com dor, o que por si só já não favorece o atendimento. Segundo porque o ambiente de consultório envolve muita novidade para uma criança. Eles já chegam meio desconfiados, apreensivos, curiosos e com medo.

Qual a idade ideal?

O que é preconizado na odontopediatria é que a criança vá ao dentista quando tiver os seus primeiros dentes de leite, em média, por volta de 6 meses de idade. Alguns bebês podem adiantar ou atrasar a erupção de forma fisiológica.

Alguns bebês podem já nascer com dente, ou mesmo surgir dentes nos primeiros vinte e oito dias de vida. São os chamados dentes natais e neonatais, respectivamente. Nestes casos, a consulta deverá ser antecipada.

O exame e a radiografia odontológica são fundamentais para a avaliação da manutenção ou remoção do dente.

O importante é que esse primeiro contato com o profissional da área de saúde não passe do primeiro ano de vida da criança.  Nessas primeiras consultas, mesmo que não haja muito para se olhar, o foco principal é fornecer uma correta orientação aos pais sobre a dieta e práticas que favoreçam a saúde oral do seu bebê. São abordados tópicos como: qual melhor maneira de realizar a higiene bucal do seu filho e tirar suas dúvidas com relação a como e quando fazer a escovação, qual pasta de dente usar, se precisa ou não usar o fio dental, entre outras questões.

Cuidar da saúde oral do seu bebê irá contribuir enormemente para a qualidade de vida dele. As ações educativas e preventivas durante os primeiros anos de vida requerem cuidados profissionais e comprometimento familiar.

Com o acompanhamento odontológico desde o primeiro ano de vida, o profissional poderá iniciar o acompanhamento da erupção dos dentes e do crescimento e desenvolvimento das arcadas. Desse modo, conseguimos prevenir a cárie dental (dando a correta orientação sobre alimentação e consumo inteligente de açúcar), inflamação gengival, corrigir hábitos nocivos como por exemplo sucção de dedo ou chupeta, alterações nos encaixes dos dentes, etc.

Com as visitas regulares cria-se um vínculo de confiança entre a família, o profissional e a criança, tão importante para o sucesso das ações odontológicas preventivas. Com certeza se após o acompanhamento com o dentista, um dia o seu filho sofrer um trauma e machucar a boca, essa consulta será mais tranquila do que se fosse uma primeira consulta emergencial. A criança já estará familiarizada com o profissional, com o local, os equipamentos. Ela já se sente mais segura e confortável no ambiente, favorecendo o atendimento.

Problemas são evitados. Não espere que o seu filho tenha um para então resolver. Antecipe-se. Faça com que ele não venha a ter problemas e sofra com dores de dente, desconforto, dificuldade para mastigar. A prevenção sempre é a melhor solução.

E quanto mais cedo forem introduzidos hábitos saudáveis, mais fácil de se manterem ao longo da vida. Uma observação importante, nem tudo que vemos no facebook, instagram e mídias sociais, corresponde com o que é preconizado pela associação brasileira de odontopediatria.

Vamos ficar mais atentos e procurar profissionais atualizados e especializados.

Formada em Odontologia pela Universidade Veiga de Almeida, seu atendimento tem foco na odontologia preventiva. Especialista em periodontia pela IOPUC (gengiva) e com extensão em odontopediatria pela São Leopoldo Mandic. Desenvolveu o projeto Welcome Baby e Kids, onde faz o pré natal odontológico e o acompanhamento de recém nascido e crianças, sempre com foco na prevenção das principais doenças bucais através de muita informação e conteúdo para a família toda.

Deixe seu comentário!