Oficina das Noivas

Minha bebê não dorme sozinha

maio 06, 2018
Desabafo de MãeHistórias da Vida RealSoninho do BebêSophie Stories

Todos os dias por aqui é a mesma rotina. Por volta das 21h30 iniciamos o processo do sono. Abaixamos as luzes, desligamos a TV e a deixamos brincar com seus brinquedinhos.

Por volta das 22h00 damos o banho, o mamá e neste estágio ela já está com bastante soninho, coçando os olhinhos e bocejando sem parar…

E é aí começam a nossa agonia de todos os dias. Sophie não aceita dormir sozinha, ela sente muita necessidade de ser ninada. Minha teoria, é porque até os 4 meses ela teve um quadro intenso de refluxo, por conta da APLV e precisou dormir comigo no colo, eu sentada e ela em posição vertical, para aliviar o refluxo.

Ficamos assim até os 4º mês, quando conseguimos estabilizar o refluxo e ela se acostumar com a rotina de dormir logo após o último banho do dia. Tínhamos conseguido estabelecer esta rotina diária (desde que ela nasceu), de ela pegar no sono as 22h00 e ir direto até as 08h da manhã todos os dias,

E foi assim do 4º até o 10º mês mais ou menos, Dos 11º ao 12º meses, ficou um tempo com dificuldades para dormir e mesmo com toda a rotina, e tentando realizar todos os métodos imagináveis e inimagináveis, ela resistia bastante, chorava sem parar e seguia lutando contra o sono. E dava 22h30, 23h00, 0h00, 01h00, eu de pé, com Sophie no colo e ela só conseguia pegar no sono, por volta das 02h00 da manhã.

Exaustão, dores nas costas, na coluna, cansaço dos dias sem dormir ao menos 4 horas seguidas…

Depois que ela completou 1 aninho, logo na segunda semana, conseguimos restaurar novamente sua rotina, o máximo que fica acordada agora, é até 00h00 e dorme a noite toda, acordando uma vez para mamar, por volta das 08h00 e depois volta a dormir até as 10h00 AM.

Mas mesmo assim ainda precisamos continuar com o processo de niná-la para dormir. Não consegue de forma alguma dormir sozinha e sente a necessidade muito forte de ser ninada, e só serve se for por mim.

Mas quer saber? Mesmo com todo o cansaço, confesso que AMO demais este processo. O fato de ela só conseguir dormir se for comigo, me traz uma sensação de exclusividade. Eu sou o mundo dela, eu sou tudo o que ela tem e confia, sou sua referencia de segurança, de amor, de casa, de estabilidade. Aproveito cada segundo para senti-la em meus braços, sentir que a tenho toda para mim.

Durante este processo, a gente canta juntas, fazemos murmurinho da música do Nando Reis, que sempre cantei para ela desde que estava em minha barriga.

Dou muitos beijinhos, sinto o cheirinho do seu cabelo, do pescoço, sinto sua respiração. E vejo o quanto ela é frágil e tão dependente de mim,

Sinto nostalgia do tempo em que ainda estar por vir, do tempo em que ela não vai mais precisar de mim para fazê-la dormir.

Sinto meu amor aumentando a cada segundo, sinto medo, insegurança, esperança, sinto orgulho da mulher forte e corajosa que me tornei, capaz de suportar tudo por ela.

Sei bem o quanto pode ser cansativo, a maternidade não é nada fácil e nem um conto de fadas como muitos defendem. Mas sabe estes momentos que não voltam mais? Aproveite casa segundo, faça valer a pena. Uma coisa que tenho sentido na pele e na alma, é a capacitação que Deus tem me presenteado todos os dias e sou muita grata a Ele, pelo privilégio de poder estar com minha filha nos braços, e acompanhar cada segundo do seu desenvolvimento. Isso é um presente.

A caminhada é longa, eu consigo, você consegue!

Foto: Maiatos Fotografia

Blogueira
Nici Guedes. Esposa do Fabio, Mãe da Sophie. Cristã e Carioca da gema. É formada em Contabilidade, Administração de Empresas e em Direito, mas nunca se encontrou em nenhum processo ou nos números! Encantou-se pelo mundo de casamentos em 2011, e em 2013 criou o Oficina das Noivas e em 2017 se realizou com o Oficina das Mães.

Deixe seu comentário!